Quer swingar com o casal?

Quer swingar com o casal?
Quer swingar com o casal?

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Você sabe o que é Dogging? Você praticaria o Dogging?

Dogging: conheça a prática de fazer sexo em público com estranhos

O que é o dogging? A mais nova moda entre casais é fazer sexo em público, de preferência com estranhos observando. A jornalista Madalena Xavier* e seu marido Saulo encontraram no dogging uma fonte segura de orgasmos. Ela conta como aderiu à prática em depoimento exclusivo.

Dogging: casais aderem à prática de fazer sexo em público com estranhos observando (Foto: Getty Images)

Desde que começamos a namorar, há dez anos, eu e meu marido sempre frequentamos casas de swing, festas regadas à orgia e moteis com possibilidade de interação entre os quartos. Ver sua parceira transando com outro homem é algo que o excita e transar com mais de um homem também é algo fascinante para mim. Quando nossos dois filhos nascerem, há cinco anos, no entanto, sair ficou bem mais complicado e começamos a sentir falta das nossas aventuras sexuais. Um dia, navegando em um blog de swingueiros, Saulo* descobriu uma novidade a poucas quadras da nossa casa: o dogging, prática que consiste basicamente em transar dentro do carro ou ao ar livre, em locais públicos, com outras pessoas olhando – ou interagindo. Tudo parecia simples e as regras eram claras: acender as luzes do interior do carro significa que as pessoas podem assistir ao sexo do casal; janelas abaixadas é o código para chegar mais perto e até colocar uma mãozinha aqui, outra ali. Casal fora do carro é sinal verde, liberou geral: todos são bem-vindos na transa. Logo que ele me contou, adorei a ideia e não via a hora da nossa primeira experiência de exibicionismo e voyeurismo ao ar livre.
No dia em que decidimos ir, enquanto pensava na logística - bolsa, cigarro, uma cervejinha para tomar no caminho –, parei e pensei. “Será que estou mesmo preparada?”. Já tinha transado com desconhecidos em casas de swing, mas daí a fazer sexo na rua havia uma grande diferença. Nas casas fechadas, as regras são seguidas as claras, não há a menor possibilidade de violência, os códigos são respeitados. Me tranquilizei quando pensei que não seria a primeira vez que transaria no carro. Essa era, inclusive, uma prática comum na adolescência, quando os pais no quarto ao lado impediam de fazer sexo num lugar bacana. Já tinha destreza para rodopiar ao volante. Na pior das hipóteses, iríamos embora.
Sem nenhum frio na barriga e tomada por uma enorme curiosidade – e excitação -, decidi ir. Sempre gostei muito de transar e a vida toda encarei o sexo como arma de empoderamento. Transar livremente, falar abertamente sobre sexo e igualar os gêneros na cama é uma forma de alimentar minha libido, meus desejos e minhas lutas. Para mim, sexo sempre foi sinônimo de poder. “Como a mulher ainda luta por sua visibilidade em uma sociedade patriarcal, a libertação dos seus desejos, sejam quais forem, a leva a sentir e a exercer o poder de se expor. Muitos estudiosos dizem que a exploração do desejo empodera a alma”, explica a psicóloga e psicoterapeuta sexual Ana Claudia Alvim Simão, mestre pela South Bank University, em Londres, sobre o sentimento – que é compartilhado também por outras mulheres praticantes de fantasias como as minhas.
Naquela noite, eu estava com um vestido vermelho de alça, bem soltinho, que facilitava a brincadeira. Eram umas 2 da manhã, quando estacionamos na praça e, de cara, contei três homens circulando pelo local. Assim que acendemos as luzes, outros foram surgindo ao redor do carro. Enquanto nos beijávamos, meu marido deslizou a mão sob meu vestido, que não ofereceu resistência e cedeu deixando meus seios à mostra. Tirei a calcinha e abri o vidro do passageiro, onde estava sentada. Seguimos nos beijando e outras mãos passeavam pelo meu corpo. Os braços se espremiam no breve espaço da janela para tentar me alcançar; dedos sedentos entravam e saíam de dentro de mim, se revezavam, acariciavam meu peito, barriga, rosto e cabelos. No lado oposto, outros caras curtiam a visão enquanto se masturbavam. Um pouco mais distante, um casal de mãos dadas apenas observava. Fiquei de quatro e fiz sexo oral no meu parceiro, deixando minha bunda exposta para a excitação de todos e mais um rodízio de mãos que me agradavam. O dogging rendeu. Outro carro estacionou, novos rostos surgiram, outros migraram para ver a novidade na vaga ao lado. Ambas as janelas abertas, tirei o vestido e sentei de frente para o volante, de costas pra meu marido, transamos. Me senti num campo de futebol cercada por uma torcida organizada que vibrava com o jogo que assistia. Na minha cabeça foi como um golaço: gozei e me pareceu que todos aqueles homens tinham gozado comigo. Ou melhor, para mim. Virei fã!
*nomes fictícios
 Texto tirado da Revista Marie Claire mês de Agosto.

ENTÃO VOCÊ PRATICARIA O DOGGING? 
 Deixe seu comentário!!!
Bjs do KsalRD.


Apoios:




sexta-feira, 10 de agosto de 2018

O melhor presente de Aniversário que Diana me deu!!



O que venho a relatar aconteceu com no final do mês de Julho precisamente no sábado 28/07 dia do meu aniversário. Naquela manhã Diana levantou-se bem cedo foi tomar um banho pois havíamos tentado brincar na noite passada mas como sempre eu me satisfiz mas ela não conseguiu apagar seu fogo, após sair nua do banho e cabelos molhados olhou pra mim veio me desejar os parabéns por mais um ano de vida, mas não tocamos no assunto de fazermos algo para comemorarmos o níver.

Eu pensei em chamar alguns amigos para jantar, mas sem pensar em sacanagem, jantar familiar mesmo!!! Até comentei com minha esposinha, mas a mesma me disse que seus planos eram outros , até porque Diana e seu fogo arrebatador como sempre já havia planejado tudo. Lógico sempre pensando algo que desse prazer!!

Logo que levantei, minha esposinha querida e amada pediu-me que fosse no supermercado para que eu comprasse algumas coisinhas que estavam em falta, com certeza obedeci, demorei mais ou menos 1 hora para voltar.

Quando cheguei de volta em casa notei que estava tudo em silêncio na sala e na cozinha, larguei as compras e fui em direção ao quarto e aos poucos comecei a ouvir uns gemidos e a voz de Diana e de um homem que eu tentava identificar para ver se reconhecia, na hora fiquei de pau duro e fui entrando nosso quarto de casal bem devagar e com o pau na mão, e nossa que visão linda que eu tive minha esposinha de joelhos mamando em um pau bem grosso e se deliciando muito, porém não olhei no rosto do macho que estava ali sendo sugado com voracidade, de repente Diana olhou para a porta e me viu, parou seu delicioso boquete, levantou-se e veio em minha direção e beijou-me deliciosamente na boca, pude sentir o cheiro e o gosto divino do pau do amigo e foi então que ela me apresentou o macho!!

- Robson meu amor este é o Walter um ex namorado meu!!! Educadamente cumprimentei-o e disse para ele ficar à vontade e aproveitar e dei uma risadinha!!!

Walter veio e abraçou minha esposinha por trás e começou a beijá-la no pescoço enquanto Diana me dizia: - Robson hoje vou realizar um desejo que você havia me comentado, lembra que você imaginou me ver dando para aquele meu meu ex namorado que você não conhece o do Pau grosso? Pois é!! Seu presente será este vou realizar esta sua imaginação e de quebra você vai receber muito leite para beber e um novo chifre!!! O Walter veio mais cedo pois eu queria matar mais um pouco dá saudades do pau delicioso dele, viu como é bem maior que o seu? Fiz o sinal de positivo para minha esposa enquanto ela se virava e puxava o seu ex namorado para cama e mandava eu ficar ali olhando e na punheta!!

Nossa aquilo me deu mais tesão ainda e mal toquei no meu pau e gozei enquanto eles faziam muito sexo na nossa cama, ficaram ali o resto todo da manhã.


Fui então fazer a comida para os namoradinhos que iam ficar famintos quando acabassem a deliciosa foda que eu conseguia ouvir os gemidos deles e o barulho da cama lá da cozinha, a coisa parecia até sincronizada pois quando a comida ficou pronta Diana começou a gritar: - Corno vem rápido que o Walter gozou na minha buceta, vem limpar a gente já!! Saí disparado para o quarto e deitei na cama Diana então veio esfregar a Buceta cheia de leite na minha boca, nossa que delícia!!! Walter também veio e posicionou seu pau meia bomba e todo melado próximo ao meu rosto e comecei alternar a chupada na buceta com o boquete no Walter, depois de uns 15 minutos limpando os namoradinhos enquanto eles se beijavam, foram os dois juntinhos tomarem banho e fuderam mais e depois saíram nus e foram almoçar!!!

Após o almoço eles começaram a se esfregarem no sofá da sala e Diana perguntou se Walter podia ficar o fim de semana todo, ele respondeu: - Lógico minha putinha, este fim de semana vamos reviver nossos momentos juntos, agora vamos lá pra cama que quero baixar mais um pouco do seu fogo e encher mais de leite esta buceta enquanto o Corno olha e serve de nosso empregado!!! E ainda me falou: Olha Corno a putinha aqui é minha para você só sobrou meu leite e o gosto da buceta bem fudida, não nos interrompa, só participe se nós chamarmos e depois, com certeza vou querer marcar território em você, vou te comer e te dar uma chuva dourada, e não esqueça a cama de casal é minha e da sua esposinha nesta e na outra noite pois vou embora Segunda pela manhã, e vou aproveitar para fuder ela bastante e sempre que eu quiser eu vou vir aqui e dormir com ela e você que durma na sala ou em outro quarto entendeu? Abri um sorriso e disse que sim!!

Diana olhava pra mim e ria muito, então ela me chamou e perguntou: - Então Meu amor tá gostando do teu presentinho? - Sim meu amor, minha putinha eu estou adorando!!!

Então os dois voltaram pra cama e começaram a fuder muito, eu observava sentado em uma cadeira e batendo punheta, Diana de 4 sendo penetrada e me olhando bem fundo nos olhos me chamando de CORNO, nossa aquilo me fazia gozar muito, depois de muito sexo e exaustão da deliciosa limpeza que dei neles, resolveram dormir um pouco e eu fiz a cama na entrada do quarto para poder ouvir eles e atendê-los quando fosse chamado.

No meio da noite me acordo com os gemidos de Diana então levanto e vou olhar e me deparo com a cena que mais gosto de ver, ela cavalgando no pau do Walter e ali permanecendo por um bom tempo e seus gemidos aumentando sendo cada vez mais alto, ela de repente deu uma olhadinha pra trás me viu e falou para o Walter que queria ver ele me comendo, então ela saiu de cima do pau dele com a buceta pingando de tesão, sentou em seu rosto e mandou que eu sentasse e aproveitasse muito pois o seu namoradinho só ia parar quando gozasse dentro do meu cú, nossa lubrifiquei bem meu ânus e fui sentando devagar, porém o safado do Walter me pegou pela cintura e me puxou com força fazendo meu cú ser literalmente arregaçado, nossa gritei de dor e de prazer pois nunca havia recebido um pau daquela grossura dentro do meu cú, nossa esperei um pouco a dor passar e comecei a cavalgar com força, pulava em cima daquele cetro duro e grosso gozei muito mas não parei, fiquei cavalgando ali uns 15 minutos até que Walter anunciou seu gozo, nossa senti jorrar um jato forte dentro de mim enquanto Diana esfregava mais e mais sua buceta no rosto de seu namorado e gemia como uma verdadeira puta no cio até que ela anunciou que iria também gozar e de repente se tremeu e soltou de vez seu corpo todo e desfaleceu ao lado de Walter, eu também saí de cima daquele pau delicioso e fui tomar um banho, e enquanto Diana se recuperava nosso amigo resolveu vir tomar um banho juntinho comigo aonde eu mamei muito seu pau e até um beijo de língua rolou. 




O sexo rolou até segunda pela manhã quando ele teve que ir embora mas já com o pedido nosso para termos um BIS!!!

E estes meus amigos um aniversário inesquecível e o melhor dos presentes que Diana já me deu!!!

Espero que tenham gostado!!!

Abraços e beijos do Sr KsalRD.



Não esqueça de deixar seu comentário !!!! 


Apoio:


www.luxusswing.com.br


O que é cuckolding?

O que é cuckolding? É um fetiche do homem que encontra prazer sexual em observar sua mulher fazer sexo com outro homem.  É uma variante...